Sobre o projeto

Literatura Acessível é um projeto que tem como objetivo levar a informação, o conhecimento e a cultura a uma parcela da população que conta com poucas opções de acesso à leitura. São aqueles que apresentam algum tipo de limitação ao ato de ler, como idosos, disléxicos, pessoas com baixa visão e deficientes visuais.
O projeto irá produzir e disponibilizar livros para que os usuários possam ler por meio de download em seus computadores. Os livros serão produzidos no formato DAISY (Digital Accessible Information System), que é um padrão mundialmente conhecido e utilizado para produção de livros com textos, imagens e áudios sincronizados. Para computadores existem vários leitores de arquivos em formato DAISY gratuitos, inclusive um desenvolvido pelo governo brasileiro junto com a UFRJ, o MECdaisy (http://intervox.nce.ufrj.br/mecdaisy/). A intenção é produzir em DAISY todos os livros atualmente em domínio público, como as obras de Machado de Assis, poemas de Fernando Pessoa e diversas obras de literatura infantil. Um objetivo futuro será tentar uma parceria com editoras de livros para também tentar publicar em DAISY outras obras.
Por que Daisy?
Daisy é um acrônimo de Digital Acessible Information System e se refere a padrões técnicos, baseados naqueles usados na internet, para produção de documentos multimídia acessíveis e adequados à navegação na web. Na prática, são livros falados (DTB, ou Digital Talking Books) em arquivos digitais, ou obras que trazem combinações sincronizadas de áudio e texto. Não se trata apenas da leitura gravada do texto, mas de uma estrutura diferente de organizar o conteúdo. Integram o Consórcio Daisy entidades de países como o Reino Unido, os Estados Unidos, Japão, Canadá, Suíça, Suécia, Holanda, Dinamarca, Coréia do Sul, Austrália, Alemanha e Espanha, empenhados na defesa da acessibilidade universal.
No Brasil, temos 16 milhões de deficientes visuais. Em algumas regiões, mais de 20% da população possui alguma deficiência visual, e são poucas as ações no Brasil que têm como público alvo essa parcela da população. O formato DAISY torna os conteúdos acessíveis igualmente a qualquer pessoa. Trata-se de uma tecnologia que permite conjugar texto, áudio e imagens para representar conteúdos como livros, artigos, etc. Quando se trata da manipulação de livros, o formato DAISY permite que o leitor tenha acesso a vários recursos semelhantes aos que ele teria ao ler um livro em papel. É mais que um livro em áudio, pois possui vários recursos, como ir diretamente para uma determinada página, fazer anotações, marcar um determinado trecho e navegar pelo índice do livro e ir direto a um capítulo. O leitor pode visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir simultaneamente em voz sintetizada. Pode navegar pelas obras seguindo a ordem das páginas, ou por seções e capítulos, ou consultando um índice. O programa também pode soletrar as letras ou reproduzir o som ao mesmo tempo em que apresenta o texto em caracteres ampliados, para portadores de baixa visão. O livro Daisy é editado com notas de rodapé opcionais, soletração, leitura integral de abreviaturas e de sinais, além da pronúncia correta de palavras estrangeiras. Não é necessário computador com grande capacidade para que o usuário possa ler. São muitas as vantagens do formato DAISY e os benefícios aos usuário são imensuráveis.
Os livros em DAISY ainda são pouco conhecidos no Brasil, mas pretendemos, com o Literatura Acessível, reverter essa realidade. O Ministério da Educação (MEC) adotou esse formato e toda editora que deseje concorrer com seus livros nos processos licitatórios de obras didáticas e paradidáticas terão de apresentar uma cópia na versão digital acessível.
O projeto Literatura Acessível conta com o apoio da secretaria de Cultura do Rio de Janeiro.
Caso queira colaborar com o projeto, entre em contato conosco. Sua ajuda será muito bem-vinda!